segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Éden




Há um éden onde tudo começa… como aquela estrela que se acende no coração sempre que deslizas no meu horizonte e me afagas com sonhos e poemas. Depois leio os teus olhos e percebo o beijo que sobressai nos teus lábios querendo tocar os meus. E eu ofereço-te o mel da minha boca, as minhas mãos, a música do meu corpo. Tu e eu, numa aliança de sentidos, voamos como pássaros, ultrapassamos os precipícios e os vazios enchem-se de sol. O frio da solidão é um inverno que já foi… agora anuncia-se a primavera onde as flores dos nossos sorrisos despontam nos bosques encantados onde se inicia a vida e onde queremos permanecer.

Princesa do Mar

1 comentário:

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

Lindo poema murmúrio
Que me trouxe o som da brisa
Em poesia precisa
Como pressagio ou augúrio.

Flor que me lembrou antúrio
De folhagem muito lisa
Ou tinhorão posto a guisa
Da lembrança, sem perjúrio

Que um poeta compara
Tinhorão com a sua tara
Fazendo-lhe de órgão vivo

Cruz e Sousa o declara
Em analogia rara
Como tinhorão lascivo.

Lindo seu poema, Princesa do Mar, que me inspirou aos versos que fez lembrar, com a flor vermelha ao lado de um poema de um poeta negro, Cruz e Souza um dos maiores simbolistas do mundo. Minha gratidão, parabéns e abraço cordial. Laerte (Silo).

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...