terça-feira, 11 de outubro de 2016

Escreve-me, amor...




Escreve-me, amor… mesmo que as letras te prendam o sentimento… solta-as uma a uma… elas tornar-se-ão palavras, brotarão do teu coração e germinarão em versos belos de primavera. 

Tens muito para me dizer, amor….eu sei! Os dias passaram obscurecidos de ausências e o emudecimento das vozes apagaram as melodias do Sol e do Luar… mas as estrelas ainda cantam no horizonte as memórias tatuadas no Universo.

És um Anjo, lembras-te? Abraça-me com as tuas asas brancas… e deixa-te ficar em mim. Não digas nada nesse momento…mesmo que as folhas do outono teimem em esvoaçar nas brisas frescas da noite. Gosto do silêncio da tua presença porque ele tem a melodia da tua alma…a poesia do teu Ser. Gosto de te olhar profunda, demoradamente…beber as lágrimas que caem dos teus olhos cheios de luz, mesmo que tu digas que estão cansados.

O vazio não existe, amor… existe a Saudade que nos inquieta, mas que nos alicia no voo do reencontro, naquele lugar onde só tu e eu sabemos onde nos encontrar.

Princesa do Mar

1 comentário:

A.S. disse...

Ah!... as saudades, que tanto nos inquietam!
Mas sorri... sorri porque ainda existe a árvore
que escondeu todos os voos!...

Bjuss
AL

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...