quarta-feira, 22 de abril de 2015

Flores de Sonho



Todos os dias ela caminhava com flores de sonho nas mãos, deixava que imagens de saudade flutuassem no horizonte dos seus olhos. Havia aromas de ausência que se corporizavam em letras e lhes murmuravam esperança.
O silêncio não existia, havia uma melodia que brotava das sílabas suspirantes, enlevo dócil que preenchia a solidão dos seus passos.
Como esquecer aquele olhar que teimava em percorrer os segredos da sua memória? Como esquecer aquelas asas brancas a abraçar o seu desejo mais íntimo? Não… não queria esquecer, havia um misticismo entre os dois, mistério cativante que os enleava em ternuras e confidências.
Doce o seu sentir… meigo o seu devaneio!
Suaves pétalas de sol desprendiam-se do seu peito, alegre metamorfose em bailados de brisa, toque sereno de almas… magia que a enternecia e lhe delineava sorrisos no coração.

Princesa do Mar


1 comentário:

A.S. disse...

Sentir o murmúrio das tuas brisas é transpor a linha que nos permite aceder às mais doces sensações... ao mais subtil prazer que escorre na pele...

Beijos...
AL

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...