quarta-feira, 14 de agosto de 2013

À deriva...



Há um instante em que balançamos na vida como um barco à deriva num mar revolto, sem direção. O nosso corpo não existe, é agora um brinquedo abandonado na monotonia de um sonho, na esperança que alguém o segure com umas mãos cheias de ternura. Esperança de uma alma que vislumbra o futuro, um adejar dos sentidos que pernoita no secreto lugar de um sonho esmaecido pela amargura dos dias.

Remanesce o poema que se ergue no silêncio de uma página solitária, versos que se espreguiçam querendo acordar o sentimento entorpecido. Letras cobertas de estrelas devolvem sorrisos, apagam as sombras de uma lembrança, arejam os pensamentos mais obscurecidos e os olhos querem repousar num sonho renascido.

Princesa do Mar

7 comentários:

Dani disse...

Estar a deriva também é se encontrar.

Beijos

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Precisamos muitas vezes de nos perder, para nos voltarmos a encontrar...

Um beijinho amigo

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

Como sei do que falas...palavras que a minha alma podia gritar.
Obrigada pela carinhosa visita.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

© Piedade Araújo Sol disse...

precisamos sempre dessas lembranças em nós...

um beijo

:)

AC disse...

O poder das palavras é imensurável...
(E elas, por aqui, são sempre tratadas com tanto carinho)

Beijo :)

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

Passando para te deixar um beijinho.

Sonhadora

Anónimo disse...

Por vezes viajamos no limbo das brisas perdidos num olhar que já não reconhecemos ...Gritamos gemidos surdos , mas por muito que o nosso coração grite ..Ninguém nos houve!!!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...