terça-feira, 2 de novembro de 2010

Viajantes do Tempo


“Há nos silêncios entre palavras um mundo de intenções não faladas.
Há na suavidade da voz, uma ternura que chega a parecer saudade”
(Druida da Noite)


Escrevo ternuras, palavras íntimas que nascem da alma como cascatas de saudades e teimam em jorrar na placidez do meu peito. Há um silêncio azul que me abraça, como se a ausência de uma voz me murmurasse a eternidade.
Escrevo para te falar, mesmo que não saiba onde estás. Vejo-te, mas não sei como és. Sinto-te na carícia suave do vento e amo-te. Um amor estranho, misterioso que vive no coração e adormece no segredo da alma.
Gosto da tranquilidade da noite, porque ela me leva nas suas asas, escolhe lugares de sonho onde acordo com beijos brilhantes que brotam dos teus lábios de estrelas.
Escondo-te no tesouro da minha essência, guardo-te em cada palavra que edifica um poema, sentimentos perenes que as rimas cantam em murmúrios de silêncio, e que tu escutas na mansidão de uma saudade crescente que te beija docemente.
Gosto quando te chegas a mim e te acomodas no conforto do meu poema e nele compões outras palavras que se entrelaçam amorosamente às minhas. Gosto dos teus sussurros de brisa, da canção da tua alma que me leva para os teus lugares e neles encontro a minha morada.
União de almas em veredas paralelas… eu e tu somos viajantes do Tempo num abraço (e)terno, pura alquimia do desejo que desenha um sorriso de infinito no coração das estrelas.

Princesa do Mar

5 comentários:

AC disse...

Um discreto desenhar de vislumbres, um doce murmurar de anseios, numa alma prenhe de sensibilidade...

beijo :)

Sonhadora disse...

Minha querida

Eu e tu somos viajantes do tempo, num abraço (e)terno.

Simplesmente maravilhoso, define o texto a essência.

beijinhps
Sonhadora

Jorge Manuel Brasil Mesquita disse...

Assim seja a ternura do universo, assim sejam as estrelas que nos anunciam a beleza do canto nocturno e o encanto das palavras doces.
Jorge Manuel Brasil Mesquita
Lisboa, 04/11/2010

AC disse...

Ouso entrar no teu reino, tecido na delicadeza das palavras que traduzem o teu sentir. Olho, impressionado, e tento encontrar as pontas dos nós que me levem à tua essência. Essa, porém, está bem protegida, embora liberte, à distância, um canto sublime e apaziguador...

Beijo :)

Porta-Sonhos disse...

A espera do tempo em espera.

Bjoca.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...